O que é este blog?

Este blog trata basicamente de ideias, se possível inteligentes, para pessoas inteligentes. Ele também se ocupa de ideias aplicadas à política, em especial à política econômica. Ele constitui uma tentativa de manter um pensamento crítico e independente sobre livros, sobre questões culturais em geral, focando numa discussão bem informada sobre temas de relações internacionais e de política externa do Brasil. Para meus livros e ensaios ver o website: www.pralmeida.org.

Mostrando postagens com marcador seminário. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador seminário. Mostrar todas as postagens

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Towards a World Without Nuclear Weapons - seminario no Itamaraty, 7-8/12/2017

Seminário – "Towards a World Without Nuclear Weapons: Challenges and Perspectives".
A Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG) e o Departamento de Organismos Internacionais (DOI) organizarão nos dias 7 e 8 de dezembro, na Sala San Tiago Dantas, o seminário “Towards a World without Nuclear Weapons: Challenges and Perspectives”. A ser conduzido em língua inglesa, o seminário seguirá as regras de “Chatham House”.
Após a cerimônia de abertura, na quinta-feira, 7/12, às 9h, estão previstos os seguintes painéis: a) a Agência Brasileiro-Argentina de Contabilidade e Controle de Materiais Nucleares (ABACC) e o regime de verificação da Agência Internacional de Energia Atômica (das 10h às 13h do dia 7/12); b) o Tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares (TNP) – a Conferência de Exame de 2020 (das 14h30 às 18h30 do dia 7/12); e c) os impactos do Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares para o regime de não-proliferação e desarmamento nucleares baseado no TNP (das 9h às 12h30 do dia 8/12).
Devido ao número limitado de vagas, roga-se aos interessados em participar do seminário enviar solicitação de inscrição para o correio eletrônico dds@itamaraty.gov.br até o dia 1º de dezembro.

Seminario sobre Diplomacia e Inovacao Cientifica - Itamaraty, 8/12/2017


Itamaraty e MCTIC promovem o “2º Seminário sobre Diplomacia e Inovação Científica e Tecnológica” com o apoio da FUNAG

O ministro das Relações Exteriores (MRE), Aloysio Nunes Ferreira, abrirá o “2º Seminário sobre Diplomacia e Inovação Científica e Tecnológica: Ação Internacional no Brasil”, ao lado do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab, em 8 de dezembro de 2017, às 9h, no Auditório Embaixador Wladimir Murtinho, Palácio Itamaraty, Brasília. 
O seminário está dividido em quatro painéis: I) Ação Internacional no Brasil: Argentina e Suécia; II) Ação Internacional no Brasil: China e Canadá; III) Ação Internacional no Brasil: a dimensão multilateral (UNESCO e Banco Mundial); e IV) Ação Internacional no Brasil: O universo das startups e os Centros de Inovação da Dinamarca. 
Cada painel contará com apresentações de representantes dos dois ministérios, de governos estrangeiros, e organismos internacionais. Confira a programação completa. Inscreva-se.

II Seminário sobre Diplomacia e Inovação Científica e Tecnológica:
Ação Internacional no Brasil

Brasília, 08 de dezembro de 2017
Palácio Itamaraty, Auditório Embaixador Wladimir Murtinho
Esplanada dos Ministérios, Bloco H
8h30-9h00
Credenciamento e recepção

9h00-9h10
9h10-9h20
Sessão de Abertura
- Aloysio Nunes Ferreira, Ministro das Relações Exteriores
- Gilberto Kassab, Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações
9h20-10h00
- Keynote speaker: Professor Mário Neto Borges, Presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)

Intervalo
10h15-11h15
 Painel 1 – Ação Internacional no Brasil: Argentina e Suécia
10h15-10h35


10h35-10h55
10h55-11h15
- Argentina: Ministro Jorge Mariano Jordán, Diretor Nacional de Cooperação e Integração Institucional, do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Produtiva da Argentina
- Suécia: Per-Arne Hjelmborn, Embaixador do Reino da Suécia no Brasil
- Debate: (moderador) Alvaro Prata, Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações

 Intervalo
 11h30-12h30
Painel 2 – Ação Internacional no Brasil: China e Canadá
11h30-11h50
11h50-12h10

12h10-12h30


- China: Li Jinzhang, Embaixador da República Popular da China no Brasil 
- Canadá: Riccardo Savone, Embaixador do Canadá no Brasil (tbc)
- Debate: (moderador) Embaixador José Antonio Marcondes de Carvalho, Subsecretário-Geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores.

Pausa para almoço
 14h30-15h30
 Painel 3 – Ação Internacional no Brasil: a dimensão multilateral
14h30-14h50

14h50-15h10
15h10-15h30

- UNESCO: Fábio Eon, Coordenador de Ciências da Representação da UNESCO no Brasil
- ENRICH-Brazil: Markus Will, Coordenador do Projeto “ENRICH-Brazil”
- Debate: (moderador) Embaixador Benedicto Fonseca Filho, Diretor do Departamento de Temas Científicos e Tecnológicos do Ministério das Relações Exteriores.

Intervalo
 15h45-17h00
 Painel 4 – Ação Internacional no Brasil: os Centros de Inovação da Dinamarca e o universo das startups
15h45-16h00

16h00-16h40



16h40-17h00
- Dinamarca: Stina Nordsborg, Vice-Presidente do “Innovation Center Denmark”, do Consulado-Geral do Reino da Dinamarca em São Paulo
- “A internet das vacas”: Danilo Leão, CEO da BovControl
- “Movile: food, ticket, education & care”: Vitor Magnani, Vice-Presidente de Políticas Públicas do iFood e Presidente da Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O).
- Debate: (moderador) Ministro Manuel Montenegro, Subchefe do Gabinete do Ministro de Estado das Relações Exteriores.

sábado, 4 de novembro de 2017

Seminario O Brasil e a Grande Guerra: IHGB-RJ, 6/11/2017, 9:00hs



Seminário “O Brasil e a Grande Guerra: Diplomacia e História”
A Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) e a Embaixada da França no Brasil convidam para o seminário “O Brasil e a Grande Guerra: Diplomacia e História”. O evento será realizado em 6 de novembro, às 9h, na sede do IHGB, Rio de Janeiro. Confira a programação completa.
Inscreva-se.
Serviço
Seminário: “O Brasil e a Grande Guerra: Diplomacia e História”.
Local: Av. Augusto Severo, nº 8, 9º, 13º andar, Glória 20021-040, Rio de Janeiro.
Data e hora: 6 de novembro, às 9h.

=======

Quando do início da guerra na Europa, fui convidado pelo jornalista Alberto Dines para dar uma entrevista em vídeo para emissão especial que ele preparava para o seu "Observatório da Imprensa". Não disponho do link para essa emissão, se ainda estiver disponível.
Mas transcrevo abaixo a ficha do texto-guia para a emissão que eu tinha preparado para aquela ocasião.


2622. “A guerra de 1914-1918 e o Brasil: impactos imediatos, efeitos permanentes”, Hartford, 26 junho 2014, 5 p. Roteiro para gravação de um depoimento em vídeo para emissão especial do Observatório da Imprensa, sobre o impacto da Primeira Guerra Mundial sobre o Brasil em termos políticos, econômicos, culturais e militares; depoimento por meio de webcam; feitas duas gravações de dois minutos cada. Publicado em Mundorama (28/07/2014; ISSN: 2175-2052; link: http://www.mundorama.net/?p=14424); postado duas vezes no Diplomatizzando (links: http://diplomatizzando.blogspot.com/2014/06/o-brasil-e-primeira-guerra-mundial-no.html e http://diplomatizzando.blogspot.com/2014/07/a-primeira-guerra-mundial-e-o-brasil.html). Emissão “Os 100 anos da guerra que não acabou”, com Alberto Dines, Programa n. 736 do Observatório da Imprensa (em 5/08/2014; sem link atual). Postado novamente no blog Diplomatizzando (15/08/2017; link: http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2017/08/a-grande-guerra-e-seus-efeitos-sobre-o.html). Relação de Publicados n. 1138.


segunda-feira, 30 de outubro de 2017

O Brasil e a Grande Guerra: diplomacia e historia - seminario no IHGB, RJ, 6/11/2017


O Brasil e a Grande Guerra: diplomacia e história

Paulo Roberto de Almeida
 [Nota sobre o seminário a ser realizado no Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, no Rio de Janeiro, em 6/11/2017]
 

O conflito matricial do século XX
Todos admitem – não só os historiadores, mas também cientistas políticos e analistas de relações internacionais, de modo geral – que a Grande Guerra, que mais tarde recebeu o título de Primeira Guerra Mundial por razões mais do que óbvias, foi o conflito seminal do século XX, que provocou imensas alterações políticas, sociais e propriamente militares em todos os países por ela afetados, mas também enormes impactos econômicos que perduram até a atualidade – na intromissão dos Estados na vida econômica – e, sobretudo, no plano das relações internacionais, ao acelerar os movimentos nacionalistas que redundariam nas descolonizações da segunda metade do século e alteraram completamente a geopolítica mundial. Essas mudanças afetaram em primeiro lugar a Europa, mas também os impérios coloniais e mesmo povos e regiões distantes do epicentro do conflito, inclusive no hemisfério americano e no Pacífico.
A historiografia, ao longo do último século, identificou as origens da guerra – uma simples disputa de honra nacional e de defesa de soberania entre o Império Austro-Húngaro e o reino da Sérvia –, nas atitudes propriamente “feudais” (na visão de Arno Mayer) dos monarcas disputando poder e influência nos Balcãs, uma subida aos extremos por causa de um ultimatum mal concebido, exacerbado pelos ardores de chefes militares que pensavam apenas num conflito de pequena duração, finalmente extravasado para as grandes potências europeias por causa de um sistema de alianças militares e de garantias ambíguas vinculando os dois extremos da Europa central. Mas se tratava, ao início, de uma “guerra local”, que extravasou para as grandes potências vinculadas entre si pela lógica confrontacionista das alianças.
A guerra se tornou mundial pela ação dos submarinos alemães, afundando inclusive navios de países neutros, como os Estados Unidos e o próprio Brasil. Suas consequências foram ainda mais vastas, pois foi em grande medida devido à Grande Guerra que o czarismo foi derrocado na Rússia e que um novo sistema sócio-político e econômico, consolidado após anos de guerra civil, emergiu na União Soviética e projetou sua sombra sobre as relações internacionais durante mais de oito décadas.

Programa de seminário sobre a Grande Guerra
Para examinar os diversos aspectos da Grande Guerra, o Instituto de Pesquisa de Relações Internacionais (IPRI-Funag/MRE), do qual sou diretor, está organizando um seminário no Instituto Histórico e Geográfico (Rio de Janeiro), em 6 de novembro, segundo o programa que se detalha a seguir:

O BRASIL E A GRANDE GUERRA: DIPLOMACIA E HISTÓRIA
Seminário no dia 06 de novembro de 2017

Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rua Augusto Severo 8, RJ, 09:00-18:30hs

09:00               Abertura: Apresentação do programa

09:30               Conferência de abertura:
“A América Latina e a Grande Guerra (1914-1918)” – Prof. Olivier Compagnon (Universidade de Paris III – Institut des Hautes Études de l´Amérique Latine), autor de O Adeus à Europa: a América Latina e a Grande Guerra. 
10:30               A imprensa brasileira e a Grande Guerra – Prof. Sidney Garambone (PUC-RJ), autor de A Primeira Guerra Mundial e a Imprensa Brasileira.
11:20 O Brasil da neutralidade à guerra - Embaixador Rubens Ricupero (FAAP), autor de A Diplomacia na construção do Brasil: 1750-2016.
12:10 A neutralidade argentina – Embaixador Juan Archibaldo Lanús (CARI), autor de Aquel apogeo: politica internacional argentina 1910-1939.

13:00   Almoço

14:00    Rui Barbosa e o debate parlamentar sobre a neutralidade brasileira - Embaixador Carlos Henrique Cardim (UNB), autor de A raiz das coisas - Rui Barbosa: o Brasil no mundo.
14:50   A Marinha do Brasil na Grande Guerra – Prof. Francisco Eduardo Alves de Almeida (EGN/IGHMB), co-autor de Atlântico – a História de um Oceano.
15:40 Aviadores brasileiros na Grande Guerra (power point) Prof. Carlos Daróz (UNISUL/UNIVERSO/IGHMB), autor de O Brasil na Primeira Guerra Mundial – A Longa Travessia.
16:10  O Exército Brasileiro na Grande Guerra: a Missão Médica Militar e o Hospital Brasileiro de Paris - Prof. Cristiano Enrique de Brum (PUC-RS), doutorando em História.
17:00 Epitácio Pessoa e a Conferência de Paz de Paris - Procurador Marcílio Toscano França Filho (UFPB), autor de Epitácio Pessoa e a Codificação do Direito Internacional.

17:50               Debate
18:30 Encerramento


Guia de leitura, bibliografia:
A bibliografia sobre a Grande Guerra é, obviamente, imensa, mas menos abundante no que se refere ao envolvimento dos países latino-americanos e do Brasil. Um dos palestrantes, o prof. Olivier Compagnon, é autor da obra de pesquisa histórica L’adieu à l’Europe: l’Amérique Latine et la Grande Guerre (Paris: Librairie Arthème Fyard, 2013), com edições em português: O adeus à Europa: a América Latina e a Grande Guerra (Rio de Janeiro: Rocco, 2014); e em espanhol: América Latina y la Gran Guerra: el adiós a Europa (Argentina y Brasil, 1914-1939) (Buenos Aires: Crítica, 2014). Outro participante também tem obra publicada; Sidney Garambone: A primeira guerra mundial e a imprensa brasileira (Rio de Janeiro: Mauad, 2003).
Compagnon cita, em sua bibliografia, livros sobre a mesma temática, entre os quais: Bill Albert; Paul Henderson: South America and the First World War: the impact of the war on Brazil, Argentina, Peru and Chile (Cambridge: Cambrisge University Press, 1988); Percy Alvin Martin: Latin America and the War (Baltimore: Johns Hopkins Press, 1925); Clodoaldo Bueno: Política externa da Primeira República: os anos de apogeu, de 1902 a 1918 (São Paulo: Paz e Terra, 2003).
O grande estudo sobre o tema é o de Francisco Luiz Teixeira Vinhosa: O Brasil e a Primeira Guerra Mundial: a diplomacia brasileira e as grandes potências (Rio de Janeiro: Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, 1990), com ampla bibliografia sobre o assunto. O diplomata Fernando Paulo de Mello Barreto Filho publicou Os Sucessores do Barão: relações exteriores do Brasil, 1912-1964 (São Paulo: Paz e Terra, 2001). Mais recentemente, o historiador Carlos Daróz publicou O Brasil na Primeira Guerra Mundial: a longa travessia (São Paulo: Contexto, 2016).
Em 2014, convidado pelo jornalista Alberto Dines para participar de uma emissão sobre a Grande Guerra na série do Observatório da Imprensa, mesmo estando fora do país, elaborei pequeno texto-guia e preparei dois pequenos vídeos sobre o impacto do conflito no Brasil, do ponto de vista econômico: “A guerra de 1914-1918 e o Brasil: impactos imediatos, efeitos permanentes”, Mundorama (28/07/2014; ISSN: 2175-2052; link: http://www.mundorama.net/?p=14424); Diplomatizzando (link: http://diplomatizzando.blogspot.com.br/2017/08/a-grande-guerra-e-seus-efeitos-sobre-o.html).

Paulo Roberto de Almeida
Brasília, 30 de outubro de 2017

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Seminario “Brasil-India - Instituto Rio Branco, Brasília, 24-25/10/2017

Convite seminário
"Brasil-Índia: 70 anos de relações diplomáticas"


A Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), o Ministério das Relações Exteriores e o Indian Council of World Affairs (ICWA) promoverão o Seminário “Brasil-Índia: 70 anos de relações diplomáticas”, a realizar-se nos dias 24 e 25 de outubro de 2017, no Instituto Rio Branco, em Brasília.

Com o objetivo do aprofundar o debate sobre as relações bilaterais entre o Brasil e a Índia, o seminário será composto por palestras sobre "70 anos das relações Brasil-Índia: de onde viemos, desafios atuais nas relações bilaterais e caminhos para maior aproximação"; e  por 3 painéis: (i) segurança alimentar e energética: complementaridades e possibilidades de cooperação entre Brasil e Índia; (ii) evolução das relações econômicas e comerciais Brasil-Índia e perspectivas futuras; e (iii) parceria entre Brasil e Índia para a construção da governança global no século XXI. 

Para mais informações e inscrição visite a página oficial da FUNAG.

Serviço

Seminário: “Brasil-Índia: 70 anos de Relações Diplomáticas”.
Local: Instituto Rio Branco.- Brasília/DF.
Data e hora: 24 e 25 de outubro, às 9h30.
 
O evento será em inglês.

quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Seminario Azeredo da Silveira - Palacio Itamaraty, Rio de Janeiro, 22/09/2017

FUNAG promove seminário para comemorar o centenário de nascimento de Azeredo da Silva

A Fundação Alexandre de Gusmão (FUNAG), com apoio do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), convida para o seminário “Centenário de Azeredo da Silveira: o Pragmatismo Ecumênico e Responsável”. O evento, que será realizado em 22 de setembro, às 9h30, no Palácio Itamaraty, Rio de Janeiro, prestará homenagem ao Ministro das Relações Exteriores Antônio Francisco Azeredo da Silva (1974 – 1979).
O seminário será aberto com uma palestra do embaixador Marcos Azambuja sobre o tema “Azeredo da Silveira e o Itamaraty”, seguida por painéis temáticos. Confira aqui a programação completa.
Inscreva-se.


PROGRAMA TENTATIVO
9:30: Conferência de Abertura: Azeredo da Silveira e o Itamaraty
Embaixador Marcos Azambuja
10:00: Painel 1. Pragmatismo Responsável e Ecumênico (PRE): significado para a PEB. Universalismo e autonomia.
Moderador: Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima
Embaixador Gelson Fonseca Junior
Embaixador Ronaldo Sardenberg
Embaixador Rubens Ricupero
Professora Maria Regina Soares de Lima, IESP/UERJ
Debate
11:30: Painel 2. Relações com os EUA: não alinhamento automático. Fases Kissinger-Silveira (MoU) e Carter. Direitos Humanos. Denúncia do
Acordo Militar
Moderador: Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima
Embaixador Roberto Abdenur
Professor Matias Spektor, FGV-SP
Professora Mônica Hirst, Universidad Torcuato di Tella
Professora Leticia Pinheiro, IESP/;
14:00
Painel 3. A geopolítica da América do Sul: Bacia do Prata e Tratado
Amazônico
Moderador: Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima
Embaixador Rubens Ricupero
Embaixador Luiz Felipe de Seixas Correa
Embaixador Rubens Barbosa
Professor Wanderley Messias da Costa, USP
Debate
15:30 
Painel 4. Decisões estratégicas e suas consequências, internas e
externas: reconhecimento de Angola, reconhecimento da RPC, tratado
nuclear com a RFA.
Moderador: Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima
Embaixador Carlos Augusto de Proença Rosa
Embaixador Luiz Augusto de Castro Neves
Professor Paulo Visentini, UFRGS
Professor Pio Penna Filho, UnB
Professor Paulo Sergio Wrobel, PUC Rio
Merval Pereira
Debate
17:00 - Painel 5. A gestão da política externa e seu método. Reforma do
Itamaraty. Papel da chancelaria no processo de abertura política.
Moderador: Embaixador Sérgio Eduardo Moreira Lima
João Clemente Baena Soares, embaixador
Lucio Amorim, diplomata
Embaixador Carlos Augusto de Proença Rosa
Professor Celso Castro, FGV
Miriam Leitão
Mariangela Hamu
Debate
18:30 - Encerramento